Wednesday, 15 April 2009

Se Casando com um Muçulmano

Vc conhece alguém que é cristã, e não tenha precisado se converter (para o Islã) para casar com um mulçumano?

-Olha, não é necessário se converter para se casar NÃO, isso é balela!!!!! Conheço várias que não se converteram, e além do mais ninguém pode te obrigada a assinar um papel que te torne algo que você não irá praticar nem sente. SE um dia você quiser ser muçulmana, isso terá que partir de você. Eu sou Católica e não prentendo MESMO me converter. Não aceite isso.

O que pode acontecer é que às vezes algumas religiões ou ceitas não são aceitas por eles, porque não possuem um livro sagrado. Muçulmanos podem se casar com Cristãs - Bíblia e com Judias- Torá.





Parece que você está convencida de que deseja se casar com esse Muçulmano. Não sabemos o quanto o seu namorado muçulmano lhe contou sobre o islã, por isso gostaríamos de passar-lhe ao menos os pontos básicos do Islã sobre o relacionamento entre homens e mulheres.
O Islã proíbe qualquer relação pré-marital. Assim sendo, não importa quanto amor você sente por esse homem, não há nenhuma justificativa para ele se envolver em uma relação pré-marital. Ou vocês estão casados de acordo com a lei Islâmica ou não estão, não pode haver nenhum arranjo temporário ou consensual que substitua o verdadeiro casamento. No Islã se prefere que os homens e mulheres muçulmanos se casem entre si. Em certas situações excepcionais um homem muçulmano pode se casar com uma mulher piedosa [religiosa] dentre os cristãos ou judeus. No entanto, as crianças têm que ser educadas como muçulmanas.
Se você está preocupada sobre o futuro, tome uma decisão firme hoje mesmo e reduza as incertezas usando toda a sua habilidade. Fale com seu namorado e faça-o saber que você gostaria de uma postura séria sobre o relacionamento. Os parentes dele não estão aceitando-a em parte porque você não é muçulmana, e em parte porque o namoro é proibido no Islã. Se você seriamente quer ficar com ele pelo resto da vida, seja mais firme na sua jornada para o Islã. Estude a religião e se de livre vontade você se convencer que o Islã é a religião para você, então se torne uma muçulmana.
Enquanto você estuda o islã, combata todos os impulsos satânicos de ficar junto com seu namorado. Mantenha suas conversações limpas, puras e focadas em tópicos específicos ligados ao futuro de seu relacionamento. Com certeza, não mantenha mais relações físicas com seu namorado. Ele já terá que se arrepender por ter pecado nas relações íntimas anteriores com você. Quanto a você, todos os seus pecados anteriores serão perdoados no momento em que você abraçar sinceramente o Islã.
Não importa onde vocês terminarão por viver, se no país dele, no seu ou nos EUA, entenda que Allah (Deus) é o melhor dos provedores. Ele tomará conta do seu sustento contanto que você seja sincera na sua adoração a Ele. Acreditamos que vocês têm um grande futuro juntos, mesmo que tenham começado do modo errado. Você o ama, ele te ama. Estude o islã, torne-se uma muçulmana, case-se com ele, e você terá agradado a Allah, a vocês mesmos e às suas respectivas famílias ao não continuarem com relações pré-maritais!



Você aceitará que seus filhos sejam criados no Islam?

Eu não! Ele sabe disso. Sou muito religiosa e minha família também. Vamos deixar nossos filhos decidirem. Além do mais os filhos nascerão num ventre Cristão... pra mim não tem essa de impor que SERÃO MUÇULMANOS.
Ambas religiões tem coisas muito boas, e com certeza os dois serão passados. Eu mesma faço algumas orações Islâmicas, respeito as orações e rezo com ele, não há nada de mais, Deus é um só.



You as Muslim would accept your kids to be Christians?

(testimonial)Well it has its times...My Dad is Muslim whereas my Mum is Catholic, both their families are religious,for me personally i'd want to be Catholic but my dad would be distraught at this, because he thinks that as the father all of us should follow his religion (my 2brothers and mother), but my grandma on my mum side opposes to this and she teaches us the Catholic religion and my dad takes me to the mosque for arabic teaching. My mum is still Catholic but she doesnt eat pork and follows my dad. My parents have been married for 20years now, it has its downs but i guess it can work if you kind of spread things out. It depends on the woman and the man . Like my mum doesnt eat pork as respect to my dad but she doesnt pray like a muslim and she is not muslim. We all follow my dads religion (my2brothers) but i would like to follow Catholic with my grandma but my dad would be very angry and upset about that and i wouldnt want that.Im 14 my older brother is 19, and younger 12. So for me i dont know at the moment, i pray as a Catholic and as a Muslim and I go to Church and Mosque. Confusing. LolI guess it could work with a few complications at times



Eu fiz as mesma mudanças, não como porco, uso roupas sem decotes, não bebo.. coisas pequenas que nos fez entrar em acordo. Até porque são coisas que não fazia antes com frequência mesmo, pra mim não faz falta.

Lembrando, que o casamento deverá ser realizado no Islam em casos de estar em um país Muçulmano, e realizado no Cartório no caso daqui. Se quiser ambas religiões será opção do casal.

Em caso de conversão, a mulher deverá mudar o nome para um muçulmano como: Maria, Marium, Sonia, Maria, Sara, Rabia, etc.. E esse constará na certidão de casamento, que deverá ser transcrito na embaixada e traduzido para legalização no Brasil.


Você poderá escolher para colocar o primeiro ou o úlimo nome dele, exemplo:
Marido: Ali Kahan
Seu: Maria Ali ou Maria Kahan
Seus filhos terão o sobrenome do pai, somente.


Curiosidade: Se você não é muçulmana não poderá ir a Meca.
Eu disse toda inocente para meu amore, vamos pra Meca depois pra Roma, todos felizes =D
Ai ele me disse que eu não poderia..
Eu falei, mas ponho a Abayah e ninguém saberá...
Ele disse... ai ai vai constar no seu passaporte a sua religião... E é verdade, no Pak, o passaporte diz se você é muçulmano ou não..
Poxa achei muito preconceito não poder ir a Mecca.. =(

O que é Meca (Makkah)? Nela nasceu Maomé em 570. É a mais importante de todas as cidades santas do Islam, visitada todo ano por numerosos peregrinos.
Antes que Maomé viesse a pregar o Islam, já era uma cidade santa, com vários lugares de importância religiosa. Dentre eles o mais importante é a Kaaba.

Cinco pilares
Profissão de fé, Oração ,Tributo, Jejum, Peregrinação.

Ramos do Islão
Sunitas, Xiitas e Kharijitas.
Cidades sagradas
Meca · Medina · Jerusalém · Najaf · Karbala · Qom Mashhad

18 comments:

Manahil said...

Salam, tenho acompanhado seu blog e digo que gosto muito do que vc escreve, bom eu gostaria de comentar sobre esse assunto, você tem toda razão, o homen muçulmano pode se casar com cristãs, e engana-se quem se reverte ao Islam por causa de um namorado, marido, enfim...Para se reverter você deve sentir, ser chamado por Deus,não simplesmente fazer a chahada e depois não seguir os pilares! A pessoa estará apenas enganando a si mesma... Uma coisa importante é estudar, sempre tirar as duvidas a respeito da religião! E tbm acho que é improvável um muçulmano deixar a religião por causa de um mulher!!
Sabendo lidar com as diferenças, o casal pode ser feliz, cada um na sua religião!

Autora do blog said...

Adoro essa idéia de trocar de nome :)
Tem alguma regra especifica Carol?Tipo o marido escolhe...? ou coisas do tipo, tal nome muda de tal forma? tem disso?
Outra cosita queria saber mais sobre Kharijitas, ainda não li muito a respeito.
Ain amiga tu não vai a Meca... tadinha.
Preconceito essa de por só o sobrenome do pai :S

Besitos que bom que voltou ;) hehehe

Mariachiquinha said...

"Curiosidade: Se você não é muçulmana não poderá ir a Meca.
(...)
Ele disse... ai ai vai constar no seu passaporte a sua religião... E é verdade, no Pak, o passaporte diz se você é muçulmano ou não.."

Eu não entendi o porquê de você não poder ir a Meca. Até aonde eu sei não é necessário nenhum atestado de muslim para ir a Meca, nem tão pouco constar em seu passapore que você é ou não muslim enquanto brasileira.
Eu sou muslim, mas não tem nada referente no meu passaporte.

--> Agora sobre o passaporte pasquistanês, além de constar a religião islâmica, na entrevista feita na embaixada todo muslim tem que responder à perguntas sobre o Islam, como por exemoplo são os 5 pilare do Islam.


Ana: Quando alguém se reverte ao Islam é comum adotar o nome islâmico, porém não é obrigatório. Isso porque, a reversão ou conversão é um renascer. Toda a sua vida errante é perdoa e anulada.
Agora, a escolha do nome você mesma pode escolher como no meu caso, eu mesma escolhi meu nome muito antes de me tornar muslim, ou pode ser um presente do seu amado.

Marina said...

Carol acabei de mandar um comentario mas pra variar o blogger deu pau... vc por acaso recebeu?

Marina said...

Carol acabei de mandar um comentario mas pra variar o blogger deu pau... vc por acaso recebeu?

Marina said...

Bom, acho que o comentário não foi , vou reescrever tudo de novo:

Sobre mudança de nome: não é obrigatório no Islã não, eu mesma me casei no Egito e não mudei nadinha. Lá muito pelo contrário, vc não pode ter o mesmo sobrenome do marido, ou vai parecer que são irmãos, não casados!! Os filhos levam o nome do pai e a esposa deve permanecer com o nome da família dela, pois é direito dela. Algumas pessoas mudam de nome, mas mais como um apelido, no Egito mesmo me chamam de Jannah, não de marina, mas não que eu vá mudar algo no papel.

Sobre visita a Makkah: é proibida sim a entrada de não muçulmanos. Vc pode não ter no passaporte sua religião, mas para entrar na Arábia Saudita e principalmente nas cidades sagradas de Makkah e Madina precisa ter um visto religioso, que só é dado para muçulmanos. No Brasil as mesquitas dão certificados de conversão, a embaixada da Arabia aqui provavelmente os aceita, mas no Egito, por exemplo, as mesquitas brasileiras não são reconhecidas e vc tem que se converter em Al Azhar para ser reconhecida como muçulmana. A questão de proibir entrada de não muçulmanos é clara: ali é lugar de adoração a Deus, naõ de turismo para tirar foto. SE a pessoa não crê no islamismo e que Mohamed é seu profeta, não tem porque ir para lá. Além disso, até mesmo para fazer o Hajj, é preciso de um visto especial, e a mesma pessoa não pode ir vários anos seguidos, existe uma cota porque simplesmente a cidade não comporta o número de pessoas que desejam entrar lá na mesma época, isso somente de muçulmanos, imagina se abrem para outras religiões.

sobre a criação dos filhos: acho um pouco de ilusão acreditar que o marido vai deixar o filho escolher. É dever dele na religião passar para os filhos o seu credo e fé. SE ele não faz isso, é pq então não é religoso e será condenado por isso depois. Muitos dizem que são abertos, mas depois as esposas sofrerão muito porque estas coisas não são aceitas mesmo, ainda mais se viverem em um país muçulmano, eu diria impossível.

Mariachiquinha said...

"sobre a criação dos filhos: acho um pouco de ilusão acreditar que o marido vai deixar o filho escolher." (2)

Eu também não acredito nisso.

Todo muçulmano tem por obrigação repassar sua religião aos seus descentes, filhos, netos, bisnetos... Não se iluda achando que com "você" (qualquer uma de nós) será diferente, que ele (e a família dele também)tem uma mente aberta e parari parará...

Se eu bem conheço os pakistaneses, ele têm maior orgulho em ser muçulmano e de pertencer a uma espécie de clã, pathan, balochistan, punjabi...

Ele deve estar aceitando a sua escolha em permanecer como cristã, mas não duvido que ele mais tarde não vá tentar te conveser a ser uma muslim,pelo bem do casal, da familia e dos filhos.

Carol by Carol said...

marina- no pak eh diferente, os filhos so recebem o nome do pai

"sobre a criação dos filhos: acho um pouco de ilusão acreditar que o marido vai deixar o filho escolher."
se ele pensa assim azar o dele, pq tb sou religiosa, e tb tenho obrigação de criar meus filhos, netos.. na MINHA RELIGIÃO!

Marina said...

Carol, acho que não me expressei direito, no Egito tb os filhos só recebem o nome do pai, o que quis dizer é que a mulher qdo casa não leva o nome do marido, como é comum no brasil, ela fica com o nome do pai dela tb até o fim da vida....


sobre filhos com muçulmanos, claro que depende de cada casal e onde os filhos serão criados depende muito!! a gente vê filhos de muçulmanos em países ocidentais q não seguem nada, as vezes até piores que os proprio ocidentais eheeheh mas essa coisa de ensinar a religião é mto delicado, se vc por exemplo morar no Pak e tiver filhos lá, será praticamente impossivel querer dar uma criação cristã para as crianças, não só pelo seu marido, mas a pressão da sociedade será insuportável para eles (claro q religião tem que ser algo da pessoa com Deus, mas é comum nestes países ser mto valorizado a religião, como no egito)....

beijos

Verônica said...

ADOREI o post.

Vc disse tudo que eu queria ouvir e mais um pouco!
rs

Brigadao viu!

Carol by Carol said...

marinex- sem problema, sorry me, me tendi mala

Carol by Carol said...

Que bom, eles tem q respeitar sua decisão e religião, não podem te obrigar a nada. Mas uma dica q eu te dou e não adiar.. isso de empurrar com a barriga ou significa q vc num tem certeza ou q ele num tem compromisso sério num? sera q ele esta com medo? no dia do casamento vc assina algo e diz umas palavras sem saber se virou muçulmana? cuidado, resolvam tudo, deixar pra depois pode ficar pior ne? face to face eh 100% melhor, eu tive q resolver pela net e foi duro., no começo ele queria miinha conversão, mas veja que foi por ignorancia dele, num saber q podia se casar com uma cristã, e eu nem sabia direito o q era um ser muçulmano,, hehehehhe, depois dele falar com um Sheik, se acalmou e diz q eu num tinha q me converter, e nunca mais nem citou isso, e com isso eu posso dizer q ele me aceita, qeh mente aberta, e q me ama de verdade, pelo o q eu sou!' se a familia dele dissesse q eu teria q ser muçulmana eu teria batido de frente, pq acho um baita preconceito, tenho familia, fui criada assim...eles num podem te obrigar a nada, ate pq q fe seria essa?q submissao?
se vc num tivesse um ensino religioso, aiiiii simmmm ele poderia te pedir, mas exigir num, até pq Deus é um só

abraços

Gori said...

Assunto complicado e polêmico.
Sobre a conversão todos concordamos que deve partir de cada um.
Pelo que me consta também não é obrigatório trocar de nome.. mas é recomendado já que vc se torna muçulmana.
Mas no final das contas Deus é um só mesmo. E se formos analisar, uma religião veio de pois da outra e de alguma forma se complementam.

Lidiane Vasconcelos said...

Oi, Carol!

Pronto! Sou católica, casada com um católico. Não tenho a menor pretensão de me tornar muçulmana, mas sou curiosa em aprender sobre coisas diferentes. Por isso, li teu post muito compenetrada do começo até o fim. Gosto do teu jeito super informal e descontraído de explicar sobre a cultura no islamismo. Aprendi um bocado de coisas com esse post.

;)

Muito bom, Carol!!!!!
Beijos

sheila alvarenga gogoi said...

Mas Carol.... e as tais " relacoes pre-maritais" proibidas ??? Como tu ficou nessa historia? =O

Aline said...
This comment has been removed by the author.
Aline said...

Fiquei curiosa como a Sheila. Hehehehe

Como fica a parte da pessoa de cultura diferente? Sei que é íntima a pergunta. Mas a curiosidade é grande.

Melhoras pra vc. Tenho um cistinho tb no pulso esquerdo. Doida bem mais quando eu namorava a distância como meu marido. A dor chega até o dedão. Eu usava a tala para imobilizar por 3 dias.

beijo

Carol by Carol said...

Obrigada meninas


Sheila e Aline- hehehe ai vai de cada um oras.. cada cabeca uma sentenca
Quase toda religiao prega a castidade

Followers

Search This Blog

Loading...