Tuesday, 18 August 2009

Acontecimentos no Afeganistão

Li alguns acontecimentos que chocaram um pouco
Ambos eu li ontem no jornal de distribuição gratuita Metro.
A primeira notícia foi que os afegãos estavam sendo ameaçados caso quisevem votar... se eles quisesem ir exercer o seu direito de cidadão, milhares de bombas seriam explodidas para "banir"essas pessoas...

A outra notícia, foi horrível. Autoridades aprovaram uma lei que os muçulmanos xiitas podiam deixar de alimentar suas esposas no caso delas não quiserem ter relações sexuais com eles...
As pessoas pegam a palavra de Deus e interpretam da forma que querem, tá ai.. dá nisso!

Eis aqui as notícias:

Taleban ameaça reta final de campanha eleitoral no Afeganistão
CABUL - A campanha para as eleições presidenciais desta semana no Afeganistão chega ao fim nesta segunda-feira à sombra das ameaças à votação feitas pelo Taleban. O grupo radical islâmico, que governou o país de 1996 até 2001, quando foi derrubado pela invasão militar liderada pelos Estados Unidos, anunciou um boicote à eleição e prometeu atrapalhar a votação.
No domingo, folhetos atribuídos ao Taleban foram distribuídos pelo sul do país ameaçando atacar locais de votação durante o pleito da quinta-feira. Nas últimas semanas, o Taleban vem intensificando suas ações. No sábado, um atentado com um carro-bomba atribuído ao grupo matou sete pessoas em frente à sede da Otan em Cabul, numa das áreas consideradas mais seguras e protegidas da capital. O atentado do sábado foi o primeiro de grandes proporções na capital desde fevereiro, quando atiradores armados invadiram o Ministério da Justiça.


Marido pode negar comida à mulher que não quiser ter relações sexuais
Uma lei que permite aos maridos matarem suas mulheres de fome no caso destas se recusarem a ter relações sexuais com eles foi aprovada na surdina no Afeganistão, revoltando opositores do governo e grupos de direitos humanos.
Publicada no diário oficial do país e aparentemente aprovada pelo presidente Hamid Karzai, a lei era uma proposta cuja versão original já tinha causado indignação no início deste ano. Na época, sob pressão, Karzai foi forçado a modificar a proposta, e foi esta versão modificada a aprovada discretamente e, segundo seus críticos, oportunamente às vésperas das eleições presidenciais, na próxima quinta-feira. A aprovação da lei teria como objetivo agradar aos conservadores xiitas, cujos votos o presidente considera fundamentais para a vitória nas urnas.
A proposta inicial obrigava as mulheres xiitas a terem relações sexuais com seus maridos a cada quatro dias, no mínimo, e ainda perdoava casos de estupro dentro do casamento, ao remover a necessidade de consentimento da esposa - ou seja, a mulher, querendo ou não, teria que ter relações com seu marido; caso não quisesse, o marido teria o direito de violentá-la. Ou de não lhe dar comida.
A emenda ao texto original aprovada pelo governo manteve as partes mais opressoras, incluindo esta, que permite que o marido não dê comida à mulher enquanto esta se recusar a fazer sexo. A lei determina também que a esposa peça ao marido permissão para trabalhar e, ainda, dá a pais e avôs a custódia exclusiva dos filhos.
A lei afegã governa a vida familiar xiita. Líderes do Ocidente e grupos feministas do Afeganistão se uniram para condenar o retrocesso na liberdade conquistada pelas mulheres depois da queda do Talibã, alegando que a aprovação obscurece os direitos de igualdades garantidos na Constituição. (só rindo)
Feministas alertam ainda que a Comissão Independente das Eleições precisa recrutar 13 mil mulheres antes das eleições de quinta-feira, a fim de permitir que as seções eleitorais exclusivas para mulheres tenham oficiais do sexo feminino a postos e aptas a revistarem as eleitoras. Caso os postos não sejam ocupados - o jornal "The Independent" calcula que não sejam 13 mil, mas 42 mil oficiais necessárias -, é provável que muitos homens não deixem suas mulheres e filhas votarem em seções mistas.



triste triste
Ainda fui obrigada a ouvir o Obama dizer que a guerra no Afeganistão é necessária...
Nenhum tipo de violência é necessária...

4 comments:

Marina said...

pior que estas notícias não só me entristecem como revoltam..... eu como muçulmana tenho que todos os dias lutar contra os preconceitos de quem enxerga a religião de forma errada, aí vem esses "coisas" do Talebã falar estas besteiras.

Pior, os muçulmanos brasileiros mesmos tem a coragem de dizer que mídia distorce tudo e que o Talebã não é ruim assim não... mas tem coisas que é fato, dados e fatwas que eles mesmos emitem, contra esse tipo de ignorância não tem como a mídia não cair em cima mesmo!!! Não é pq sofremos preconceitos que temos de arrumar desculpas para quem faz algo errado em nome da religião. Sou a favor dos muçulmanos, mas nunca dos Talebãs...

Jarid Arraes said...

Na boa, OBAMA tá certo. Porque o ocidente continua ignorando a ameaça Terrorista, aí eles continuam vindo de surpresa, explodindo metrôs, prédios e tudo quanto mais possa ser explodido! A única arma que temos é essa: enfrentar.

Sinceramente, eu odeio esse Taleban! Nojo, nojo e nojo! Acaba com a reputação dos muçulmanos íntegros e destroem o mundo!

Carol by Carol said...

existem dois tipos de talebans
os que foram criados pelos Estados Unidos, e os que ficaram depois, e mesmo assim, tem uns que nao saoassim, radicais, usando do Quran pra fazer as proprias leis e usar para o proprio bem. Outros talebans protegem o pais, no caso do pak, eles estao nas fronteiras, sao contra o governo, e protegem tb contra a India.
Obama esta atacando a todos, todos, inclusive a popuaçÃo,de forma indiscriminada, sem necessidade, tem que ver o lado do povo tb

Iseedeadpeople said...

Tô chocada!!! E lamento profundamente pela maioria dos muçulmanos , q são pessoas de paz e são confundidos com estes monstros!!!!

Followers

Blog Archive

Search This Blog

Loading...