Monday, 16 February 2009

Resultado do Concursoooooooooooooooooooooo

Minha mãe quem escolheu, não batam em mim ehehehhehehe
e as vencedoras são???????????????????????

3º Lugar Jules - Porto alegre
A tia Jules vai contar da melhor experiência com pak-love dela.Wee hee! Pensei, pensei e pensei.. e definitivamente foi (e continua sendo) falar com ele ao telefone.Entendo Inglês super bem, mas não esperava me deparar com o sotaque Urdu do moçoilo.Na primeira vez que nos falamos foi mais ou menos assim: 14 de fevereiro de 2005.O telefone toca.Jules sua frio e bate aquele nervosismo. Uma pretensão de dor de barriga. 'Alô?'Ela não se tocou de que devia falar em Inglês. O estômago embrulhado, borboletas. Ou seria dor de barriga mesmo?Do outro lado da linha, o paquistanês responde com uma voz grave 'Finally you pick up Ju! Dammit!'E foi mais ou menos assim que a gente trocou as primeiras frases pelo telefone. Que romântico! Lá pelas tantas, o paquistanês começa a ficar mais eufórico, ou nervoso.Começa a falar rápido demais. Tipo avalanche.Será que ele tá brabo?Hein? Como?O que antes era Inglês com um sotaque charmoso do subcontinente asiático, virou grego-chinês-URDU.A dor de barriga aumentou e eu não consegui dizer nada.Me escondia no escritório de casa para meus pais não descobrirem, mas estava pensando seriamente em mudar meu esconderígio para o banheiro. Mas a idéia de sons ecoarem nas paredes do toilette não foi encorajadora. E ele falando... eu não entendia. Ou eu entendia, captava a mensagem mas não conseguia dizer um A.Foi então que ele disse: 'Não vou te pedir pra Valentines porque sei que se eu tivesse aí tu ia sair comigo mesmo...' Mas quanta presunção!!O sangue foi fervendo... o suor frio nas palmas da mão foi aumentando...E foi aí que ele me pediu em namoro.Não pediu. Decretou. Desde então vivo naquela sensação de flutuar, ou sei lá... saber que posso andar feliz pela calçada porque o 'dono' segura a coleirinha e não me deixa ir pra rua. Continuo a ficar nervosa, suando frio toda vez que ele liga.A diferença é que CONTINUO sem entender nadica de nada quando ele fala rápido... MAS dou gargalhadas homéricas da situação e peço pra repetir quinhentas mil vezes!Virou um charme falar em inglês misturando vacábulos e expressões em Urdu.E eu nunca mais pensei em correr pro banheiro. Mas creio que isso mude se um dia eu for pro Paquistão, comer todo o curry com pimentança e ele resolver me ligar.

2ºLugar Melissa- Japão
Vivo diariamente aprendendo coisas novas ao lado de meu marido paquistanes a seis anos,minha melhor recordacao ate hoje é o dia do nascimento de nossa filha,pois ele esteve ao meu lado num parto pra la de dificil e quem conhece bem meu marido sabera que foi quase que um milagre ele ter entrado na sala de parto comigo e ter aguentado ate o fim.Mas posso te contar Carol a experiencia mais diferente e divertida que passei com ele quando fomos a Tailandia,comemorar nosso aniversario de casamento e meu aniversario tbem que é tres dias depois.Era a terceira vez que iamos a Tailandia,segunda que fomos sozinhos,em nossas viagens sempre gostamos de sair a noite só nos dois,nao bebemos ,nao badalamos em boates,discotecas nada disso,gostamos de ver o movimento da noite dos lugares que passamos,sempre é assim e em Bangkok nao foi diferente,das duas outras vezes sempre saiamos bem tarde e andavamos pelas ruas vendo toda aquela agitacao do pais que mais abriga estrangeiros turistas a procura de mulheres e nossaaaaa,como tem beechas na Tailandia,vc tem a impressao que metade das pessoas sao travecos,drags,sim,vc nunca vai entrar numa loja sem que pelo menos uma vendedora seja um traveco simpatico,adoooro por sinal.Assim sendo,eu adorava ir em Pat Pong,um bairro digamos podre de Bangkok cheio de boates,feiras de rua gigantes que vende de tudo oque vc imaginar e mais um pouco,vc anda por la e o povo vai te parando oferecendo ate a mae se possivel,desde as famosas replicas de brand itens ate dvds pornos das brasileirinhas e programas,muitos programas com variedade pra todos os gostos,é muito divertido pra mim mas meu marido,muculmano nato,que nunca bebeu um gole sequer de alcool,nem imagina oque seja tragar um cigarro ou flertar com outra mulher que nao seja eu(acho)ficava verde ou azul,ou roxo tbem de um misto de raiva e vergonha quando iam atras da gente oferecendo essas coisas.Dessa vez eu tinha falado pra ele que queria entrar naquelas boates que a gente passava na frente e ouviamos a musica e muitos gritinhos,muita mulheres todas vestidas iguais num palco dancando,ele disse que nunca jamais,mas naquela noite resolvi que iria entrar,saimos como de costume,andando por Pat Pong mais agitado que nunca nessa noite,e comecamos a fugir de um tiozao que encarnou na nossa,ele queria que a gente fosse com ele num bar que ele dizia ser a nossa cara,comecamos a andar rapido e o tiozao atras,entramos num beco e olhamos pra tras e o tiozao ficou rindo parado,bem, nos livramos disse meu marido,comecei a perceber que naquelas ruazinhas só tinham homens e travecos,nenhuma mulher,nenhum casal,comecei a achar estranho e comecaram de novo os convites pra boate tal,eram homens saradoes jogando olhares maliciosos em meu marido,eles vinham com fotos de homens nus dancando e falando tudo qto é lingua na chance de uma nós entendermos,logo saquei que ali era o beco dos travecos mesmo e por isso nao tinham mulheres,foi um susto enorme,meu marido ja estava em transe,nem falava direito devia estar rezando e pedindo trilhoes de desculpas a ALLah talvez,conseguimos voltar pras ruas normais e o tiozao estava la e veio nos falar se meu marido curtia rapazes e pq entramos la,bem,foi ate um alivio qdo vimos ele,e resolvemos que iamos com ele entao ja que nao queriamos entrar em outro lugar daqueles,parecia um outro homem qdo olhei a cara de meu marido quando entramos naquele lugar,tudo escuro,pagamos antes e pedimos pro tiozao jurar que ninguem nos tocaria nem teriamos que pagar mais que o que foi acertado antes,sentamos numa mesa bem perto do palco onde haviam umas trinta mulheres bem novinhas todas de biquini iguais dancando e se esfregando nos paus a la pole dance,pedimos coca cola com o maior medao de colocarem algo a mais e entao so eu tomei por precaucao, ele que ja estava sem fala mesmo nem tomou nada,muitos dos clientes que estavam la eram mulheres,muitas mais velhas ,japonesas na maioria,elas riam demais,gritavam o tempo todo,eu estava adorando,hora ou outra elas se revezavam e tiravam a parte de cima do biquini,sempre com suas bolinhas de ping pong na mao,elas jogavam as bolinhas pros clientes e eles devolvim empolgados,varias vezes apontaram pra nos mas jamais pegaria,eu ja sabia do que se tratava,pompoarismo show,as mulheres que tem um mega controle sobre os musculos da vagina,fazem coisas impensaveis com ela kkkkk.Enqto elas dancavam e rodopiavam nos paus,vinha uma pra frente e comecava sua sessao de pompo,desamarravam em um lado do biquini de baixo e assim nuazinhas faziam as maioers barbaries com sua X...poderosa(desculpem nao achei palavra apropriada)elas colocavam a bolinha na perseguida e jogavam elas com tanta forca pra galera que delirava pra ver quem conseguia pegar as bolinhas pra devolver pra elas,teve horas que caiam perto de nos e o Kashif ja estava quase morto nessa hora,olhei pra ele que disse vamos embora pela milionesima vez e eu ,NAO,soh mais um pouquinho,era a hora de elas estourarem as bexigas,elas davam bexigas pra varias clientes em varios pontos da casa,as velhinhas japonesas da mesa da frente estavam empolgadissimas cada uma com a sua bexiga pro alto,dai elas colocavam um tipo canudo gigante la e dentro um palito de dente pra mirar na bexiga e estourar,eu confesso que quis minha bexiga mas sei que se pegase uma nao estaria casada mais com ele,queria ver mais,tinha muito mais,tinha a hora que elas iriam fumar com a perseguida,que iriam competir quem jogava a bolinha mais longe,ninguem ficou pedindo gorjeta nem vi ninguem se pegando la dentro,era mesmo só divercao e show,adorei,mas tive que ir embora logo,ele estava passando mal.qdo voltamos pro hotel,o homem estava estranho,quis dormir logo e pensei que ele iria me falar talak 4 vezes mas nao ouvi nada,simplesmente nada ate hoje,ele nao fala nisso,só rezou muito depois,no outro dia fomos a um bar bem legal onde ele deixou eu tomar duas caipirinhas ,coisa que eu nao fazia a um bom tempo entao fiquei bebinha da silva e arrisquei dizer que queria ir pra Pat Pong de novo,ele nao deixou claro e ficamos no hotel mesmo pra depois voltar pro Japao no outro dia.Pra quem conhece um paquistanes que segue mais ou menos a religiao,que se assusta em saber que tem mulheres que ja deu pra mais de 5(meu Deus que ele nunca saiba de meu passado) como é meu marido sabe que isso foi quase um suicidio pra ele,tenho certeza que ele nunca mais me leva la mas eu adorei a experiencia.

1º LUgarrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr: Tahessin- Portugal!
A alguns anos atrás, o conheci em Lisboa, e morava lá a alguns anos. Na época eu estava fazendo a campanha de natal em um shopping onde ele tem loja.A anos que trabalhava ali e nunca tínhamos trocado mais palavras do que o cordial bom dia e boa tarde. Isto porque a loja dele ficava em frente à minha loja. Até que uns dias antes do Natal ele veio conversar comigo, nada de especial, apenas saber como estavam as vendas e se podia ajudar a escolher um perfume para a irmã.No entanto, no mesmo dia ao fim da tarde veio perguntar se poderia adiciona-lo no MSN. Disse que sim que não haveria inconveniente.Dias se passaram até que ele entra na loja e diz que precisava falar comigo, achei meio estranho afinal ele sempre foi muito reservado. Já do lado de fora da loja ele diz que precisava conversar comigo e se no dia seguinte seria possível ir almoçar com ele. Ainda indaguei do que se tratava, mas a resposta foi que precisava de calma para conversar e que isso só seria possível no dia seguinte.Lá fomos almoçar, depois de ter escolhido as entradas e de estar com aquele ambiente de cortar a faca, afinal falávamos pouco porque nenhum de nós estava tendo tempo. Para completar ele queria falar de algo que eu não fazia a mais parca ideia, sentia-me agoniada com aquela sensação que algo estava por vir e eu não sabia bem se era bom ou mau. Mas lá tomei vergonha e perguntei o porque daquele almoço, quando os dois tínhamos muito que fazer na loja, sem contar que ele parecia aflito. Confesso que depois arrependi por ter perguntado, preferia mil vezes permanecer na ignorância.Foi quando ele começou, bem faz algum tempo que nos cruzamos pelo shopping, embora tenha consciência que você não perca horas do seu dia a observar o que faço, a verdade é que desde o primeiro dia que você foi trabalhar ali que eu observo cada passo seu e seu capaz de dizer tudo o que você faz. Não me pergunte o porque mas a verdade é que os dias que você não vai sinto a sua falta.Fiquei sem palavras, suava frio e não sabia muito bem o que dizer. Dei uma engolida em seco e disse, mas você queria dizer isso ? Porque não o fez lá fora ?Sabe tenho mais coisas para dizer, só precisava que você soubesse disto em primeiro lugar. Acho que estou a criar coragem para falar o resto, mas lá terá que ser. A verdade é que eu tenho uma noiva!Como ? Noiva ?Sim, eu tenho uma noiva. Não por minha vontade ou porque seja o amor da minha vida. Mas porque a minha família acha que devo casar e os meus pais conhecem a família dela.Sei! É nesta hora que eu eu levanto e vou embora, certo? Assim você finge que não teve esta conversa e eu simulo que nunca conheci você.Claro que não, eu poderia não ter falado isso com você. Mas se estou aqui falando isso é porque achei que você deveria saber e porque não sou indiferente a você. Afinal levei muito tempo para ter coragem de pedir para falar com você.Bem, acho que estou demorando muito aqui. Tenho que voltar para a loja ainda tenho muito para fazer hoje!Levantei e voltei ao trabalho sem que aquela agonia saísse da minha cabeça, simplesmente não sabia explicar o que era aquilo. Alguém que observa você durante anos e um belo dia resolve vir falar com você e aproveita para dizer que era noivo !?A verdade é que o tempo foi passando e os dias do Natal se tornaram próximos, lá chegou dia 24 e sem a mínima vontade de ir trabalhar. Mas, não podia deixar de ir era o dia que tinha chances de vender mais. Chego na loja digo bom dia para as meninas e uma delas diz: "Estávamos aflitas para você chegar!"Estava tão cansada que para mim aquilo era sinónimo, teve muita gente aqui e precisamos de ajuda. Então fiz cara de quem recebeu a informação e lá continuei com os meus planos de venda. Olha, hoje já esteve aqui o rapaz da joalharia. Hum ... então ele veio buscar o perfume da mãe que deixou encomendado comigo ? Não!Não entendo aquele rapaz. Deve ter mudado de ideia de novo!Ele veio deixar uma encomenda para você! Impossível eu não encomendei nada lá! Pois, mas alguém fez a encomenda e mandou entregar em seu nome!O que? Impossível!Bem, abre logo que estamos aflitas para saber o que é!Uma embalagem dourada, linda e embrulhada majestosamente. Mas quem teria deixado aquilo, afinal eu não encomendei nada. Alguém deve ter feito confusão. Ainda assim abri afinal tinha muita gente a dizer é para você e para de dizer que não!Quando abri a embalagem quase cai no chão. Um relógio, lindo, com brilhantes a volta do mostrador. Foi naquele exacto momento que percebi quem tinha deixado aquele presente, afinal eu tinha visto o relógio a uns dias atrás e tinha feito comentário. Além disso só havia uma pessoa obessecada com relógios e com brilhantes, ele!Guardei o presente e esperei o melhor momento para confronta-lo com a situação, assim ao fim da tarde entro na loja e digo que doideira foi essa de ir comprar aquele relógio?Não sei do que você esta falando!Como não sabe? Semana passada nós passamos perto da joalharia e eu disse que adorava aquele relógio, mas que achava demasiado caro! Só pode ter sido você!Não fui, você deve ter falado com outra pessoa!Não falei, mas já sei que você vai negar. Portanto queria dizer muito obrigado e que não era necessário você fazer isso.Já disse que não fui eu!Pronto eu desisto!Ah, hoje espera por mim que eu levo você em casa! E não vem dizer que não!Fiquei calada, afinal o que eu ia dizer. Nem capaz de dizer que tinha cometido a loucura de comprar um relógio absurdamente caro para uma fulana que o deixou sozinho no restaurante quando ele disse que era noivo. Era muita informação e eu já não sabia como lidar com aquilo. A sensação que tinha era que todo dia aparecia algo novo.No fim do expediente, entrou na loja e disse: "vamos".Já dentro do carro, volto a dizer porque aquele relógio? Você sabe que não faço questão do Natal, além do mais você não comemora Natal. Então que ideia é essa de oferecer um relógio?Mas ....Não vale a pena negar, afinal quem gosta de relógio é você e quem faz muita conta de brilhantes é você. Portanto o relógio é obra sua e se for apertar com o rapaz da joalharia ele confirma que foi você que esteve lá. Não quer passar pela vergonha de ser ele a dizer que foi você, certo ?Sim, fui eu! Dei porque queria que você tivesse algo que nos liga-se. E este relógio, é exactamente isso uma parte de mim com você!Fiquei sem reacção, não sabia se dizia alguma coisa ou ficava ali calada e fingindo que era surda. A verdade é que não consegui dizer nada, apenas escorreu uma lágrima no olho. Afinal nunca ninguém tinha feito aquilo sem querer nada em troca, sem uma intenção pecaminosa.Chegamos à porta da minha casa e eu sempre calada, ele disse apenas que aquele era o momento que ele precisava para falar comigo. E eu só pensava, pronto só falta ele dizer que a noiva está grávida e que vão casar na próxima semana. Mas não era nada disso, disse apenas anota este número na teu telefone.Mudou de número?Não, este será o seu número. Sempre que precisar é só ligar, este estará sempre ligado!Antes que eu tivesse chance de dizer algo, ele começou a falar disparado. Dizendo que aquela era a última vez que falava da noiva e que nunca mais eu ouviria ele falar algo a respeito dela, que jamais sentiria triste ou menosprezada por existir outra pessoa entre nós!Foi então que disse, mas como eu vou estar com alguém que tem outra pessoa ? Não quero dividir ninguém!Lá estivemos duas horas em avessa discussão para chegar a conclusão que não custava nada tentar (não me pergunte o porque eu decidi aceitar, porque jamais vou conseguir arranjar justificação).Naquele dia abraçou-me forte, e ali esteve cinco minutos calado olhando para mim sem que algum de nós fosse capaz de dizer algo.Venho buscar você no Reveillon! Adeus!Foi o melhor Reveillon da minha vida, passamos a noite a segurar a mão um do outro. Como se o amanhã não fosse existir, aquele era o nosso momento!Estivemos assim um ano, sem que ninguém soubesse de nós e ao mesmo tempo felizes como se para nós existisse um futuro. Lembro, dos dias que passava na faculdade para me buscar para irmos ao bingo. Ele dizia que a minha presença dava sorte, a verdade é que nunca ganhamos nada. Mas valia sempre pelas piadas e pelo nosso azar conjunto!Não esqueço o dia que fomos jantar a um restaurante chinês e eu passei da conta no vinho branco (meu problema), quando ele parou na bomba de gasolina, sem saber bem como abri a porta do carro e vomitei. Não será necessário dizer que o posto estava cheio e que toda gente olhou para mim com aquela carinha de nojo. Ele com o ar mais tranquilo segurou na minha mão e estava ali até que eu, bêbada, decidi-se que já tinha acabado. Se contar que fiz ele parar na estrada porque queria apanhar ar, resultado nós dois deitados no meio da estrada e os carros passando.A verdade é que depois de um ano, ele desapareceu sem dizer nada. Chorei durante dias sem parar, nada fazia mais sentido e parecia que tinha perdido parte de mim.Não telefonei, porque o meu número estava desligado e para o outro eu nunca ligava. Porque eu sabia as regras do jogo sem que ninguém tivesse dito. No fundo sabia que eu era a culpada daquele sofrimento, então deixei a coisa andar. Sofria calada, até que meses depois ele deixa um recado no MSN pedindo desculpa por ter desaparecido, mas não podia me envolver em uma discussão que eu não tinha culpa. Que tinha discutido com a noiva e que tinha se afastado porque eu era demasiado importante para passar por aquela briga.Estava muito magoada, para dizer algo muito extenso ou se quer brigar. Disse apenas que entendia e que eu sabia bem que isso iria acontecer que ele tinha alguém.Nunca mais falei com ele, passei meses sem ir trabalhar até ter coragem para encontra-lo e falar como se fosse um amigo. Até que um dia, de volta ao trabalho nos falamos, percebia nele a saudade e a vontade de falar mais e eu sempre cortando. Estivemos muito tempo assim, até que ambos aprenderam a viver como amigos, ele já ligava para falar como estava sem falar de sentimento. E assim ficamos, até o dia em que ele tomou coragem e falou com a família que não ia mais casar!No Verão passado, já ele solteiro passamos dias incríveis na praia, isto alguns dias antes dele ir morar para Londres.Em Dezembro, abro o meu mail e tinha uma reserva de hotel e avião para Londres onde ele dizia espero por você no Reveillon!Infelizmente não pude ir, mas a verdade é que aquilo que ´nos une é demasiado complexo e de difícil senso lógico. Passamos tempos separados mas sempre que estamos juntos é como se vivessemos sempre unidos.Não consigo explicar o porque não namoramos agora que ele está solteiro e eu também. Quem sabe da história diz que jamais compreenderá o nosso sentimento, afinal ele é a pessoa que melhor me conhece e eu a ele. Tanto que ele diz sempre que daqui a dez anos vamos viver um grande amor para o resto das nossas vidas, segundo ele estaremos preparados para viver juntos para sempre! Portanto, acho que o grande amor da nossa vida nem sempre é aquela pessoa que casamos e vivemos felizes para sempre.Não digo que não gostei de outras pessoas, mas a verdade é que amor verdadeiro, sentimentos profundos isso só senti por ele. Aquele frio na barriga que ninguém explica, aquele coração apertado. Não tem ninguém que consiga me compreender melhor.

PARABENSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSS!!!! Me envie com urgência seu endereço por e-mail!
Meninas adorei suas estórias, e peço desculpas por não ter um Hashimi para enviar para todas no momento...espero em breve presentea-las com algo melhor!!!!
As outras estórias somente me foram contadas pessoalmente, ai fica complicado eu postar no blog né? Mas espero fazer mais promoções =) e sintam-se a vontade para contar suas estórias e experiências aqui oks?
So sorry novamente! Queria muito presentar à todas vocês.. mas entendam que a tia está pobrinha e sem emprego :(, no fiquem tristes por favor
abraços!

8 comments:

Mariachiquinha said...

Carol:
Parabéns pela idéia do concurso! Diga a sua mãe que ela soube escolher muito bem. Ela conseguiu selecionar três histórias diferentes, pórém ótimas!!

Jules:
Imagina minha situação sem saber falar o inglês(estudei inglês até o maternal)e sem entender nada de urdu! Acho lindo ele falando tudo rápido, embolado, ou quando ele fala silabicamente para que eu entenda alguma coisa! Uuuui!

Mel:
Tadinho do Kashif! Eu fico imaginando a cara dele apavorado vendo aquilo tudo! Mas cá entre nós e que ninguém nos ouça, eu queria ter visto as japonesas véias da mesa ao lado (um show a parte).

Tahessin:
Linda sua história. Me emocinei aqui. Impossível entender as coisas do coração.

Depois de um paquistanês em sua vida, nunca mais você será a mesma. Eles são tudo!!

sheila alvarenga gogoi said...

Amei as histórias e quero conhecer esse antro de perdição na Tailândia kkkkkkkkkk!!!!

Poxa, mas fiquei triste com a história da Tahesin, queria ver os 2 se casando!!!!

sheila alvarenga gogoi said...

Perguntinha boba: o q é Hashimi?

Jules said...

Ahhhhhhhhh amei a história da Tahessin! Mona, é pra casar!

Hahahahah achei a historia da Mel suuuuuuper divertida! Coitado do Kashif guria! Mas aposto que foi uma experiência única!

Hashimi é uma espécie de delineador para olhos made in Pakistan. O look é fantástico!

Tahessin said...

Carol ...
Nem acredito que a minha história ganhou :(
Gente, inacreditável até porque poucas amigas sabem dessa história é algo tão intimo que nunca tive coragem de tornar público. Talvez dai o meu espanto por ter sido escolhida ainda mais pela sua mae:)
Muito obrigado!

Mariachiquinha, Sheila ...
Fico feliz em saber que gostaram. Realmente ainda não sei bem dizer o porque do meu indiano não ser mais do que um amigo ...
Tem tantos anos que vivemos assim que não consigo explicar!

Jules, Mel
Adorei as histórias de vocês. O suar das mãos é uma constante em mim também ... um suplicio as idas ao banheiro! rsrsrs
A sempre quis ver um espetaculo de pompoarismo, afinal não é qualquer uma que trabalha bem a perseguida ... rsrsrsrs

Muito obrigado!
Xoxo

Fatima said...

Carol, parabens pelo concurso, é ótimo conhecer outras historias...
Mariachiquinha, vc tem razão, depois de ter um Pak, nunca mais vc será a mesma...affff...
Jules, amei conhecer sua história, adoro o seu blog tambem!!
Mel, esse antro eu tambem quero conhecer...fantástica essa de pompoarismo...
Tahessim, sua historia tambem me emocionou, vc viveu tudo isso e tem gente que quer viver e não pode...Carol, amiga, quem será essa????Rsssss....Bjs à todas!!!

Carol by Carol said...

opaaaaa
que bom que vocês gostaram, mas senti falta das estórias de muitas meninas... Becca, Eve, Patiolina..

Júlia said...

ai ai ai como boa canceriana que sou nem preciso dizer que chorei muito ao ler a história de Portugal. Meu Deus, porque tanto sofrimento? Porque tudo isso?!
buááááááa´´aááááá

bjkas

Followers

Blog Archive

Search This Blog